Versáteis e saborosas, essas frutinhas são grandes aliadas da saúde e tornam ainda mais atraentes pratos doces e salgados. Levemente ácidas, dão um toque diferente a qualquer receita, sem causar prejuízos à silhueta.

O consumo de cerca de 100 gramas, duas ou três vezes por semana, ajuda a suprir a carência de vários nutrientes, deixando o corpo menos suscetível a gripes e alergias nesta época do ano.

Pequenos e vitaminados

Consumido com regularidade, o morango ajuda a fortalecer o sistema imunológico e protege o coração de diversas cardiopatias. Como toda fruta vermelha, é rico em licopeno, poderoso antioxidante. Constitui uma boa fonte de vitamina C e potássio. Os seus nutrientes têm um papel fundamental na recuperação e na manutenção do equilíbrio do sistema cardiovascular.

Além de possuir vitaminas, o morango contém fibras solúveis que auxiliam no bom funcionamento intestinal. Os benefícios são ainda maiores se for consumido in natura. Ao ser processado – cozido ou mesmo picado – perde algumas de suas propriedades. As fontes de fibra são prejudicadas.

O morango também é indicado para diabéticos, já que tem baixo índice glicêmico. Por causa do alto teor de potássio, ajuda a evitar câimbras. Além disso, a alta concentração de vitamina C, maior do que na maioria das frutas cítricas, ajuda a promover a renovação celular no organismo. Por ser levemente diurético, também é recomendado para quem sofre de infecções urinárias.

Cuidados ao comprar

Lembramos que os morangos devem ser escolhidos com atenção, por causa do alto índice de agrotóxicos encontrados em muitos dos lotes nas feiras e supermercados. O uso de agrotóxicos e pesticidas põe em jogo as qualidades da fruta e pode comprometer os processos de digestão e de absorção dos nutrientes. Os agrotóxicos também podem provocar efeitos colaterais, sendo que o mais comum é a reação alérgica.

Frutas excessivamente vermelhas, grandes ou fora da época devem ser evitadas. Um cuidado importante é deixar os morangos de molho em água com hipoclorito de sódio, na proporção de dez gotas em um litro de água, lavando –os bem antes de servir, para retirar qualquer resquício de produtos químicos.

Mesmo quando de boa procedência, os morangos podem causar alergias e urticária, principalmente em crianças pequenas, em que ainda não têm o sistema imunológico completamente desenvolvido. Por isso, o alimento deve ser introduzido no cardápio infantil aos poucos, de modo a não provocar reações indesejadas.

Bom amigos da dieta

Quem vive de olho na balança deve ficar atento às receitas tentadoras que levam morangos como principal ingrediente. Apesar de a fruta em si não engordar – 12 unidades têm apenas 39 calorias – a combinação com chocolate, chantilly e creme de leite transforma qualquer prato em uma bomba calórica. Além disso, os alimentos industrializados acabam anulando os efeitos benéficos da fruta.

A dica é incluir pequenas porções de morango no café da manhã ou nos intervalos das refeições. Outra opção é preferir geleias sem açúcar, que mantêm todas as propriedades da fruta fresca e não comprometem a dieta. Também pode incluir os morangos na salada, temperados com aceto balsâmico. Além de acrescentar um sabor especial aos pratos, contêm fibras, estimulam a saciedade, e ainda, evitam a vontade de beliscar entre as refeições.

Sabor de paraíso

Curiosamente, o que chamamos de fruta é, na verdade, o receptáculo da flor do morango, que fica carnudo e elevado para carregar os verdadeiros frutos: os pequenos pontinhos pretos espalhados por todo o morango. Há várias espécies da fruta, sendo a mais consumida a silvestre, cultivada na Europa, Ásia e na América.

Os romanos acreditavam que a fruta continha propriedades medicinais quase mágicas, enquanto os povos nórdicos penduravam cestinhas com morangos nos chifres das vacas para os duendes, na crença de que os pequenos seres abençoariam os ânimos e ajudariam a aumentar a produção de leite nas fazendas. Na Lapônia, terra do Papai Noel, a frutinha é ingrediente indispensável na receita do pudim de Natal, que leva a exótica mistura de leite de rena com suco de morango.

Cultivada desde 200 a.C, a fruta é citada na literatura e na cultura pop. Na obra do dramaturgo inglês Willian Shakespeare, o lenço que Otelo dá para sua amada Desdêmona é bordado com morangos. Na música Strawberry Fields Forever, John Lennon e Paul McCarteney imortalizam os campos de morango, refúgio paradisíaco, para onde eles queriam fugir. Muitos apreciadores dizem que nem é preciso tanto: basta um prato com a deliciosa fruta, para sentir o gostinho do paraíso…

Compartilhar

Deixe o seu comentário

Responda: *