De aroma acentuado, embora agradável, o óleo extraído da amêndoa doce é um dos mais antigos hidratantes que se conhece, tradicionalmente utilizado em produtos de beleza. Por suas propriedades emolientes, é recomendado para a pele das gestantes, de modo a evitar estrias. Hoje, é encontrado em vários produtos cosméticos.

Óleos, cremes, leite de beleza, xampus e até bronzeadores apresentam em sua composição este óleo rico em vitaminas A e B, em substâncias minerais e em ácidos graxos essenciais, como ácido oleico (74%) e ácido linoleico (16%), os grandes responsáveis por seu efeito hidratante.

De coloração amarelada, o óleo é extraído da semente do fruto da amendoeira prunus dulcis, em geral por prensagem a frio ou a quente, mas também pode ser obtido por meio de solventes orgânicos.

A árvore pertence à família das rosáceas, mede de 6 a 12 metros de altura e exibe suas flores, rosas ou brancas, logo no início da primavera. Originária da Ásia, é cultivada em lugares quentes do Mediterrâneo: em Portugal, na região do D’Ouro e no Algarve e, nos Estados Unidos, Califórnia. No Brasil, pode ser encontrada em pomares da região sul, e vem se aclimatando, também na região norte.

Há duas variedades da amendoeira Prunus dulcis: uma selvagem, com sementes amargas, outra que produz sementes doces. O farmacêutico e bioquímico Henry Okigami explica a diferença entre as duas:

“A variedade amarga libera ácido cianídrico quando ingerida ou submetida a calor, devido a um composto que contém. No caso da ingestão, em baixíssimas quantidades, pode funcionar como estimulante da resposta orgânica a produtos tóxicos. Compostos cianogênicos (caso da amêndoa amarga) poderão ser úteis no futuro para tratamento de câncer, porém ainda estão sendo pesquisados. Não existem dados sobre se seria seguro usá-los em seres humanos, ou mesmo em animais,” observa o especialista.

 

Propriedades e usos

O óleo de amêndoa doce serve de base para outros óleos, sendo um dos mais utilizados em aromaterapia e massagens. Há quem lhe atribua poder afrodisíaco. Sabe-se que tem propriedades rejuvenescedoras, regeneradoras, hidratantes, amaciantes, emolientes e nutritivas.

Por suas qualidades, o óleo de amêndoa é muito usado na cosmética, em todos os tipos de pele, sendo indicado para eliminar a aspereza e o ressecamento da pele, após cirurgia plástica facial ou corporal, e também depois de procedimentos como o peeling. Após a exposição solar, recomendo passa-lo nas mãos, pés, joelhos e cotovelos, especialmente, e no corpo todo.

Algumas gotas do óleo na água da banheira, ou na esponja do banho, tem efeito relaxante. Para aproveitar mais ainda esse benefício antiestresse, deve-se deixa-lo secar no corpo, de preferência antes de dormir.

A única contra indicação ao uso do óleo é a alergia, que se manifesta raramente, a conservantes ou produtos associados a ele durante a extração, envasamento ou mesmo no processo de produção dos cosméticos.

O uso correto e cuidadoso do óleo de amêndoa ajuda a combater as tão temidas estrias e a manter a pele macia e com toque suave, em qualquer idade.

Compartilhar

Deixe o seu comentário

Responda: *