A campanha de conscientização e prevenção do câncer de mama, conhecida como Outubro Rosa, nasceu na década de 90, nos Estados Unidos, e é celebrada anualmente, sendo realizada por diversas entidades e dirigida à sociedade, em especial às mulheres, sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença.

banner-outubro-rosa-2015

A doença:

É o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, correspondendo cerca de 25% dos casos novos a cada ano. E este o número vem crescendo significativamente desde 1970. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA) a estimativa é que em 2015 houve 57.120 novos casos.

Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos. Estatísticas indicam aumento da sua ocorrência tanto em países desenvolvidos quanto nos países em desenvolvimento. O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença.

A maior parte dos cânceres de mama é descoberta pelas próprias mulheres

O câncer de mama pode ser percebido em fases inicias, na maioria dos casos, por meio de alguns sinais e sintomas, aumentando assim as chances de tratamento e cura. O nódulo é a principal manifestação da doença. geralmente fixo e indolor, ele está presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela própria mulher. Outros sinais e sintomas também podem aparecer, como: pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja, alterações no mamilo e saída de líquido anormal das mamas.

É de extrema importância que as mulheres, independentemente da idade, fiquem atentas a qualquer alteração que considerem suspeita na mana. Conhecer o seu corpo para saber o que é normal é fundamental para a detecção precoce da doença. A orientação é que a mulher faça o auto exame das mamas (no banho, no momento da troca de roupa ou em outra situação do cotidiano), sem técnica específica, valorizando a descoberta casual de pequenas alterações mamárias.

A importância da mamografia

A principal indicação da mamografia é para o rastreamento do câncer de mama. É um exame radiológico que pode identificar lesões benignas e cânceres, que geralmente se apresentam como nódulos, ou calcificações. A mamografia deve começar a ser feita a partir dos 40 anos, anualmente, para mulheres da população geral. Porém, para aquelas que possuem histórico familiar de câncer de mama, a mamografia pode começar a ser feita 10 anos antes do caso mais precoce entre as parentes que tiveram a doença.

O estudo Swedish Two-County Trial of mammographic screening, feito com 133.065 mulheres durante quase três décadas, mostrou que a mamografia regular pode reduzir em 30% as mortes do câncer de mama. Os benefícios da mamografia de rastreamento incluem a possibilidade de encontrar o câncer no início e ter um tratamento menos agressivo, assim como de menor chance de morrer da doença, em função do tratamento oportuno.

A descoberta do câncer de mama no início aumenta as chances de tratamento e cura. Fique atenta! Em caso de alterações suspeitas na mama, procure o serviço de saúde.

Compartilhar

Tags:, , , ,

Deixe o seu comentário

Responda: *