Os primeiros registros históricos da sauna datam de quatro mil anos antes de Cristo, no Egito. O hábito se espalhou entre fenícios, árabes, chineses, gregos e romanos. Para quem o banho de vapor representava, mais do que um momento relaxante, uma oportunidade de encontrar amigos.

Por influência dos finlandeses, a sauna seca, ou finlandesa – é a preferida na região sul do Brasil. Segundo manda a tradição, as paredes da cabine devem ser de madeira e o ambiente aquecido a lenha. A temperatura em geral chega a 80 graus centígrados. Pessoas muito acostumadas podem elevá-la até os 100 graus.

No restante do país, a sauna úmida – também chamada sauna a vapor ou banho turco – é mais comum, embora não seja tolerada por todos, porque eleva a temperatura das vias respiratórias. A água é aquecida por geradores que usam energia elétrica, gás ou lenha. As paredes, assim como o piso e os bancos são revestidos de cerâmico. A temperatura ideal oscila entre 40 e 50 graus centígrados.

O clínico geral Marcelo London, chefe da Emergência do Hospital Copa D’Or, no Rio de Janeiro, diz que, quanto maior o calor, menor deve ser o tempo de permanência, que é determinada pela tolerância de cada um.

“Embora não seja possível estabelecer qual seja o ideal, não deve ultrapassar 20 minutos, devido à perda de líquidos”. O especialista diz que é um erro achar que ela ajuda a emagrecer, e observa que é importante hidratar-se bem.

Para aproveitar os benefícios da aromaterapia, podem ser colocadas folhas de ervas como hortelã, menta, lavanda, cidreira e eucalipto na saída do vapor. Outra opção é preparar uma infusão com algumas delas, dentro da cabine. O eucalipto abre as vias respiratórias, a lavanda e a cidreira acalmam, enquanto a hortelã e a menta refrescam e são ótimas, por exemplo, para combater dores de cabeça.

A dermatologista Paola Garambon, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, diz que, devido ao calor, qualquer tipo de sauna promove a vasodilatação cutânea, aumentando a oxigenação da pele. Os benefícios não são significativos porque o tempo de exposição é curto.

Ao mesmo tempo, a temperatura elevada beneficia a pele oleosa ou acneica, como explica: “A acne inflamatória melhora e até mesmo lesões císticas são amenizadas”.

Sobre os cabelos, os efeitos são como os de uma touca térmica: as escamas dos fios se dilatam, favorecendo a absorção de produtos. Sendo o momento ideal para aplicar máscaras de tratamento.

Antes de ir à sauna não se devem passar cremes sobre a pele porque eles dificultam a liberação do suor. O momento ideal para hidrata-la é logo depois, quando está quente e úmida, absorvendo melhor os ativos, como a ureia. Também podem ser utilizados produtos com antioxidantes, como a vitamina C.

A sauna ajuda a relaxar e a suavizar dores musculares mas, quanto à eliminação de toxinas, uma vantagem muito difundida, o Dr. Marcelo London diz que não há comprovação científica. “Sobretudo pessoas com doenças crônicas, como a cardiopatia, devem consultar um médico antes de frequentar uma sauna. O calor provoca vasodilatação, fazendo com que a pressão arterial baixe rapidamente, podendo ocorrer tonteiras ou desmaios, principalmente quando se faz uso de remédios”, explica o especialista.

Doenças de pele que causam pruridos e lesões avermelhadas devido à dilatação dos poros, como a rosácea, também contraindicam a prática da sauna, que dilata os vasos sanguíneos e os poros, aumentando, portanto, a vermelhidão. No caso da dermatite atópica, transtorno crônico cutâneo que, além de prurido e vermelhidão, deixa a pele ressacada, o calor resulta em crises de coceira.

Embora o calor, associado ao aroma de eucalipto, muito usado, ajude a descongestionar as vias nasais, não se deve ir à sauna quando se está gripado ou resfriado, devido ao risco de contaminação. “Os vírus se disseminam rapidamente em ambientes fechados e frequentados por diversas pessoas”, observa o médico.

Em função da umidade, favorável à proliferação de fungos e bactérias que podem causar doenças de pele, os cuidados com a higiene devem ser seguidos à risca. “A cabine deve ser bem limpa, livre de lodo, mofo ou poças de água. Deve-se evitar compartilhar toalhas, sentar-se diretamente sobre os bancos ou entrar descalço”, aconselha o Dr. Marcelo.

A alimentação é outro aspecto importante: se, por um lado, não é bom fazer sauna de estômago vazio para não sofrer uma queda de pressão, por outro também não se deve exagerar. “É preciso evitar comidas pesadas, de digestão demorada. Devido à vasodilatação, o fluxo sanguíneo no aparelho digestivo é substancialmente reduzido, retardando a digestão. O resultado podem ser náuseas e vômitos”, diz o médico.

Quanto a tomar uma ducha gelada após a sauna, o Dr. Marcelo London é categórico: ela não traz nenhum benefício e ainda pode provocar um choque térmico em pessoas com doenças crônicas, como hipertensão arterial ou insuficiência cardíaca.

“Nosso organismo tem um mecanismo muito inteligente de controle de temperatura. Para eliminar o calor, ele produz suor. Toda mudança de temperatura deve ser gradual para que nossa fisiologia tenha tempo de se adaptar. Há registros de colapsos cardíacos após alterações abruptas de temperatura”, explica o médico.

 

Precauções Importantes

  • Não jogar essências diretamente sobre a resistência do gerador do calor;
  • Não tocar o gerador de calor;
  • Não ultrapassar a temperatura recomendada, de 50 a 60 graus centígrados na sauna úmida e de 80 (ideal) a 100 graus (muito alta, e por isso não recomendada) na seca;
  • Gestantes, crianças e pessoas com problemas cardíacos não devem fazer sauna;
  • Beber muito líquido;
  • Não ficar muito tempo na sauna, para evitar desidratação ou queda da pressão arterial.

 

Seca ou a vapor, e desde que se tomem os cuidados necessários, a sauna pode ser uma boa ideia para aliviar a tensão e cuidar da pele. Relaxe e aproveite!

 

Separamos alguns dermocosméticos Adélia Mendonça para ajudar no cuidado após a sauna.

Confira:

 

Revival Face – sérum antiaging amplamente enriquecido com princípios ativos rejuvenescedores, hidratantes, antioxidantes e emolientes. Ideal para o rosto e também para a prevenção da flacidez no pescoço e colo. Possui alto poder de hidratação, nutrição profunda de peles desvitalizadas e reconstrução do tecido.

 

Revival Body – nanoemulsão corporal que estimula a elasticidade e resistência cutânea, prevenindo estrias e flacidez. Proporciona hidratação de longa duração, repõe a umidade natural e melhora o tônus da pele. Recomendado na gestação e durante dietas de emagrecimento para evitar o rompimento das fibras elásticas (estrias). Indicado para todos os tipos de pele.

 

Revival Hands FPS 15 – Tratamento global para mãos e braços, atuando eficazmente com ação protetora, antienvelhecimento e clareadora de manchas senis. Aumenta a capacidade de reestruturação celular, promove a manutenção da base de sustentação da pele, estimula a retenção hídrica e oxigenação intracelular. Seus ativos hidratantes e emolientes repõem a umidade natural, formando uma película condicionadora aderente à pele, conferindo sedosidade e maciez às mãos e braços. Mantém-se ativo em contato com a pele mesmo após três lavagens.

 

Provitality C – loção em nanopartículas a 20% de concentração multifuncional. Atua no clareamento da pele, estímulo da síntese de colágeno, ação antioxidante e regeneradora. Com textura leve, de fácil absorção ela se tornou o item mais desejado em qualquer nécessaire. O seu uso contínuo proporciona uma pele mais clara, iluminada e protegida contra os danos solares no DNA da célula.

 

Você encontra destes produtos em nossa loja virtual.

Acesse: www.compreadeliamendonca.com.br

 

 

Fonte: Revista Les Nouvelles

 

 

Compartilhar

Deixe o seu comentário

Responda: *